Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida.
Colin a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à família da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso.
Quando a encontra, porém, a professora está em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdadeiro vilão desta história?

Livro Único ||  336 páginas || Editora Planta || 2016 


Oi gente, tudo bem? Estou ressurgindo das cinzas, mas realmente quero voltar com o bloguinho. E para fazer isso, decidi escrever uma resenha sobre esse livro que eu queria ler há muito tempo e que me surpreendeu muito no final. Ganhei ele do meu irmão de natal e terminei essa semana. No começo, achei que seria parecido com “A Garota no Trem” (pretendo escrever uma resenha para ele também) e me desanimei, mas a medida que as páginas vão passando, mais você quer saber o que aconteceu com a Mia na cabana.

A vida de Mia poderia ser considerada perfeita, mas só para quem olha de fora, já que ela tem um pai juiz que possui muito dinheiro e não mede esforços para conseguir o que quer. Porém, quando Kubica começa a nos apresentar as personalidades dos parentes de Mia, vemos que as coisas não são como parecem. James é o tipo de pai que nunca está presente, só pensa em trabalhar e manter a imagem da família imaculada, Eve é aquela mãe submissa que faz tudo o que o marido quer, nunca contestando sua palavra. Grace, a filha mais velha é a menina dos olhos do pai, seguindo carreira de advocacia e sendo muito bem sucedida. Porém Mia é a “ovelha negra”, sempre diferente, contestava tudo que seu pai dizia, não se importava em manter a imagem da família e, durante a adolescência, cometeu muitos atos que seu pai desaprovava.
Tudo muda quando Mia leva um bolo de seu namorado e acaba conhecendo Colin Thatcher, mas ela não tem nem ideia que não foi por acaso que ele estava naquele bar, naquele dia. Quando ele finalmente põe Mia dento carro para entregá-la a quem o contratou, porém algo muda dentro dele e assim eles acabam em uma cabana de verão deserta no meio do inverno, ao norte dos EUA. O livro nunca se passa pela visão da personagem principal, é sempre a mãe Eve, o detetive Gabe e o sequestrador Colin ~ou Owen~ que narram a história. 

O livro é intercalado entre o antes e o depois do acontecido e, a principio, fica um pouco confuso, mas depois você acostuma com o modelo de escrita da autora, ficando mais empolgado com a história. É possível perceber que Colin nunca conta a história no "Depois", o que já nos leva a supor alguns finais para o livro, porém eu fiquei muito triste com o final, mesmo ele sendo um pouco previsível.

Acho que a autora foi muito feliz na escrita e, mesmo que muitas pessoas achem o livro monótono e sem foco, eu achei muito interessante o fato da autora não ter focado o tempo todo nos sentimentos da vitima e contar o acontecimento em outras visões, mostrando pessoas diferentes lidam com a mesma situação, sem serem as principais envolvidas. Os personagens possuem uma personalidade fiel durante todo o livro e a evolução dos mesmo é evidente, mostrando que, mesmo tendo dinheiro e poder, a vida pode ser um grande desastre.
"Conheci um homem tão pobre, mas tão pobre que só tinha dinheiro" Matheus Dimitru Scutasu
Espero que vocês tenham gostado da resenha e peço perdão por ter sumido esse tempo todo. Prometo tentar voltar com o blog e com o Ig.Um beijo e até a próxima <3

Um Comentário

  1. Ana, adoro suas resenhas. Você está proibida de sumir! Fiquei curiosa para ler esse livro. Bjs

    ResponderExcluir